Por que devo fazer uma graduação após os 40?

  • 01/07/2020
  • comentário(s)

Muitos dizem que ser jovem ou velho é estado de espírito e que, na verdade, enquanto se está aberto à novidade e buscando crescimento, o sujeito segue jovem – independente da idade cronológica. A verdade é que, por mais que a frase seja clichê, de fato nunca se é tarde para começar: a vida constantemente renova o seu chamado e cabe a cada um, independente da idade ou situação, reconhecer esse chamado e tentar, da melhor forma, atendê-lo! Uma das possibilidades de se inovar mesmo depois de uma certa idade é fazer uma graduação. Seja a primeira, feita como qualificação extra para o mercado de trabalho, seja uma experiência de prazer e satisfação por uma nova área do conhecimento, um novo curso pode renovar as energias e servir como um genuíno estímulo que pode levar o sujeito a tantas possibilidades ainda não visualizadas.

Para aqueles que não possuem um curso superior, esse pode ser o pontapé inicial em uma nova fase da vida, afinal o mercado de trabalho cada vez mais sobe a régua e exige, além do fazer – que certamente o tempo e a experiência trazem – uma sólida base teórica de estudos que certifique também o saber. Voltar à sala de aula mesmo depois dos 30 ou dos 40 é de fato uma atitude que aumenta empregabilidade e salário: pesquisas mostram que não apenas um diploma de graduação aumenta (muito!) a chance de conseguir um emprego, mas também aumenta efetivamente o quanto se recebe. Ainda mais nesse contexto pelo qual estamos passando, em que as relações de trabalho certamente serão afetadas, torna-se indispensável um upgrade na carreira, pois é deste modo que se garante uma passagem mais tranquila e maiores possibilidades profissionais no mundo pós-pandemia.

Outro fato que, apesar de não parecer, constitui uma grande oxigenação para qualquer um que queira mais da própria vida é o contato com tantos jovens que estão também buscando o melhor de si! O homem é um ser social, vive em relação, e o ingresso ou reingresso em uma instituição de ensino superior – ainda mais na AMF, em que todos os alunos têm vontade e querem ser mais – permite o contato com inteligências ávidas por conquistar o que há de melhor. Isso, além de contagiante e inspirador, pode fazer nascer (ou mesmo reviver) a ideia de um projeto que por alguma razão não se concretizou, pode despertar o sujeito para uma nova possibilidade profissional nunca antes vista ou mesmo dar ânimo para desempenhar as próprias atividades – profissionais e agora acadêmicas – de maneira a oferecer e aproveitar sempre da forma mais funcional para si.

Se para muitos a graduação depois de uma certa idade pode representar um novo incremento de ação profissional, para outros adentrar mais uma vez a sala de aula pode se dar por prazer e deleite. É muito comum que, pelo modo como as coisas caminham, se deixe de fazer um curso que queria quando jovem – ouve-se que o curso não vai garantir sustento, que não há mercado de trabalho... mas o desejo muitas vezes permanece vivo e, porque não, pode ser retomado já depois da vida profissional e financeira mais organizada! Voltar à sala de aula por escolha pessoal, para estudar um tema que ainda interessa, não acontece como quando se precisa fazer um curso por formação e necessidade profissional, mas constituiu uma prazerosa jornada de estudos para um ambiente que, apesar de imaginado, nunca tinha sido de fato explorado, podendo ser um excelente modo de utilizar o próprio tempo livre de maneira inteligente e alegre!

A AMF, pensando em você, que deseja iniciar os estudos mesmo depois de uma certa idade, possui a Bolsa Sênior: para os alunos com mais de 45 anos é concedido um desconto de 40% nas parcelas. Além disso, nossas aulas são noturnas, de modo que você não terá nenhum tipo de conflito entre o novo curso e as suas atividades! Acredite em você e faça acontecer na AMF! Acesse AQUI e saiba mais sobre o Vestibular de Inverno da AMF!!

Comentários

Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa Política de Privacidade e com os nossos Termos de Serviço